quarta-feira, 17 de novembro de 2010


DANUBIO AZUL
Guida Linhares

Foi ao som da melodia
que o coração acelerou
por tão boa companhia

No violino plangente
rodopiava a tristeza
livrando a alma da gente

E a orquestra em harmonia
lançava ao éter os acordes
no universo em sincronia

Tão bom sentir-se contente
extasiando-se com a beleza
usufruto do momento presente

É como voar pelo Danúbio
apreciando o azul das águas
em êxtase de plenilúnio

E depois vagarosamente
cheio de serenidade e luz
aterrisar no chão docemente

E a música vai chegando ao final
dissipando a sublime inspiração
fonte do sentimento imortal.

Santos/SP/Brasil
18/11/10



2 comentários:

Universo Paralelo em Versos disse...

Teus poemas são maravilhosos, és tão cristalina uma alma de cristal nobre, esta poesia ao ler foi uma viajem que valeu a pena reviver, momentos sublimes e da maior importância guardados neste coração simples e vem a tona lendo versos assim que vão conduzindo ao inefável a leveza que reside em cada alma.

Expedito Gonçalves Dias disse...

Guida, estou curtindo dessa vez o seu espaço poético. O meu, por lá também é. E privilegio a cidade onde moro também, Varginha-MG, a terra do ET, divulgando os eventos de lá. Aguardo-a para uma visitinha.
Quanto à postagem, Música e Poesia são uma coisa só.
As rimas e os sons se misturam neste Danúbio criado em seu coração...
Abraços!